10.6.05

"dressing up nature"







Perdidos de Amor . 2004
Instalação (tecido impermeável, linhas de coser, elástico de rolinho vermelho, fio de cobre revestido a plástico, esferovite e desperdício de fibra) I Dimensões variáveis I Confecção dos bonecos: Cristina Barradas I Execução dos bordados: Bordadeiras da Aliança Artesanal (Cristina Lopes, Maria Adosinda Gomes e Maria Alice Caldas Augusto)


"Dressing up Nature" - Uma exposição colectiva site-specific que esteve patente no ano passado (entre Julho e Setembro) no parque do Monteiro Mor/ Museu do Traje de Lisboa. Esta foi a minha participação. Aqui fica uma sinopse:
O espaço romântico do parque do Monteiro Mor repleto de árvores gigantes, flores e de extensos prados é por excelência o local ideal para se namorar e trocar juras de amor...
O trabalho apresentado no jardim do Museu do Traje e da Moda teve como base os lenços de namorados, também conhecidos como lenços de amor ou marcados. Trata-se de uma tradição popular minhota que vem desde o século XVIII, na qual as raparigas em idade “casadoira” bordam lenços com desenhos e quadras de amor para os seus amados. Estes, ao receberem o lenço, assumem o compromisso se o colocarem em roda do pescoço ou no bolso do casaco domingueiro; caso contrário, devolvem-no. O lenço, e sobretudo o seu uso pelo elemento masculino, assume assim o papel de símbolo visível do enlace, ritualizando a assumpção do compromisso perante o mundo, tornando-se a prova material das juras de amor trocadas - esse espaço da partilha e do encontro das emoções tão verdadeira e ingenuamente bordadas com arte no branco do tecido. Mãos que desenham e criam com linhas de cor as frases simples das promessas de amor.
A partir desta ideia e tirando partido das já existentes namoradeiras – bancos inseridos na arquitectura do jardim – procurei entrelaçar e entretecer delicadamente dois universos: o do traje e o da natureza (ideia base do projecto lançado por Carla Rebelo). É assim que surge este conjunto de 3 casais de namorados, feitos em tecido impermeável, bordados à mão (Fica aqui mais uma vez o meu agradecimento à Aliança Artesanal e a todas as bordadeiras que fizeram este excelente trabalho.) à escala natural, cada um a namorar em diferentes pontos estratégicos deste espaço verde: no roseiral, num prado e numa das árvores.
Assumindo-se o corpo como o espaço do compromisso e da partilha, é no corpo destas personagens que se encontram bordados alguns símbolos característicos dos lenços de amor como a pomba, o coração, as flores e os pássaros. Elaborados como se de tatuagens se tratassem, uma vez que as tatuagens são “uma forma de comunicação não verbal que oferece informação instantânea (...) Um elemento erótico, para informar a preferência sexual de quem as exibe e provocar resposta de eventuais parceiros, ou por casais interessados em celebrar amor eterno”.[1], as juras surgem assim escritas na pele, trocadas no enlaçar dos corpos e no rumor das conversas tecidas em fim-de-tarde.
[1] In www.sonoo.com.br/tatuagens.html
Para todos os que estiverem interessados em saber mais sobre este projecto/ exposição fica aqui uma sugestão: Projecto Bloom: um projecto sobre jardins e arte efémera que irá decorrer em Julho no edifício das Oficinas a Vapor da Fábrica da Pólvora de Barcarena. Além das actividades e intervenções vão decorrer seminários (um deles sobre o "Dressing up Nature" - informação disponível no site: em seminários). O calendário está disponível nas informações.
Foi no ano passado que conheci a Ervilha Cor de Rosa, quando, a propósito do "Dressing up Nature", fiz uma pesquisa no Google e fui parar aqui. Agora estou por aqui graças à Rosa! Foi assim que tudo começou! (Obrigada Rosa!)

7 comentários:

Camilla Engman disse...

They look beautiful. I wish I understood portuguese, I'm a curios person :)

Ana Malha disse...

Estão espectaculares, devem ter dado um trabalhão, mas ficaram lindos, lindos!

Anónimo disse...

Adoro estas três peças, estive para ir ver a exposição, mas...
Também agradeço à Rosa então, por estares aqui.
Sandra Pereira

sonia disse...

lindas... lindas... nao tinha percebido que eram em tamanho real!
uma vez falaste-me, (antes de um estagio na belgica se bem me recordo) que ias tricotar um boneco do tamanho do teu D., sempre realizaste esse projecto?
jinhos

Ana Rita disse...

Adorei os perdidos que estão entrelaçados! :) Tenho uma queda especial pelos lenços de namorados porque o meu E. ofereceu-me um... gostava tanto de ter ido à exposição..

Helena Thadeu disse...

Adorei esta sequência de bonecos de amor. Tens aqui um excelente trabalho neste blog. :)

andreia disse...

Obrigada pela sugestão Bloom. Eu tenho um fraquinho por arte efémera... conheces o trabalho do Andy Goldsworthy? Cativou-me desde a primeira vez que peguei num dos livros dele, nem eu sabia que tal arte existia. Vocês os artistas lembram-se de cada coisa! Vocês os artistas tornam a nossa vida melhor.

PS- a tua 3ª imagem vem dar corpo a algo que eu há muito tempo chamo de "abraços enroladinhos". Que bonito vê-los assim!