12.6.05

nostalgia



Vivi dois anos nos Açores, em S. Miguel, e deixei lá muitas raízes. Tenho saudades dos amigos (um abraço especial para todos!), dos pitéus, da casa, da paisagem, das árvores cor de laranja, das lagoas, da areia preta das praias, do tempo para tudo, das idas à Ferraria...Só não tenho saudades do clima!

Já nem falo da companhia do Oskar, o meu cão, que acabou por vir connosco mas para uma nova casa. Ficou com o avô do Daniel aqui bem pertinho de nós, podemos lá ir visitá-lo quando quisermos e o mais importante é que está solto e bem tratado. Em nossa casa seria impossível e estaria quase sempre sozinho.
Mais fotos aqui.

5 comentários:

Sandra Pereira disse...

Uma pitada de nostalgia e saudade é por vezes inevitável, mas nada que pague tão boas recordações.
E como é bom ver um animal "feliz".
Sandra

Anónimo disse...

ó ana vooooooooooooooooooooooolta!
já quase "ninguém " está cá...
não pode ser...!
recomendei-te este fim de semana ao meu "cliente", qualquer coisa como "esta parede era mesmo boa para um vírus"!!! eles estão interessados (ele já te queria entrevistar na tsf) vês como fazes falta?!
quando a obra estiver finalmente em pé, eu volto á carga, e dar-lhes-ei o teu contacto!

beijitos dos açores!
sílvia

Diogo disse...

Aqui em Florianópolis (Brasil) há uma grande influência da cultura açoriana... Se quiseres, mando fotos....:)

Anónimo disse...

Ana,
Não vivi nos Açores mas já lá estive e adorei, é um verdadeiro "Paraíso" ao cimo da Terra e como tal compreendo bem as saudades que sente.É uma forma de vida completamente diferente, onde há tempo para tudo inclusivamente para nós próprios, coisa que aqui é impensável.
As cambiantes da natureza são de suster a respiração de tão maravilhosas e as lagoas são de ficarmos em extase (adoro a Lagoa do Fogo).
Acompanhei sempre o crescimento do seu cão e devo dizer que é um surtudo pelo sítio onde nasceu e viveu durante algum tempo e pelos donos que arranjou que sempre se preocuparam com ele ao ponto de o trazerem para o continente convosco.Não está com vocês mas sei que o continuam a mimar e visitar frequentemente. Bem hajam, num "Mundo" tão cruel como é o nosso presentemente há poucas pessoas como vocês. Eu também tenho um cão que criei desde as 4 semanas, vindo do canil,e que adoro, é o meu "Beethoven".
Beijos.
Teresa Barrela

Anónimo disse...

Olá Ana!

Gostei muito do seu blog que encontrei por acaso.
O Oskar é um Beagle?
Obrigada,
Janica