19.5.06

estórias felizes

Maria e o Som

Maria tinha os olhos grandes e escuros. Tão escuros que as pessoas diziam que tudo para ela era noite. O cabelo ninguém sabia da sua cor e tamanho. Usava sempre, fizesse sol ou chuva, frio ou calor um chapéu com uma fita azul. Não se conhecia data em que o tirasse da cabeça. Havia quem dissesse que não o tirava nem para dormir e que já nascera com ele. Recheava um vestido azul e calçava uns sapatos com sola de cortiça. Afirmava que com a sola de cortiça podia flutuar melhor.

Um dia, vindo de uma aldeia próxima, chegou um rapaz, de nome Tonito, que, ao vê-la tisnada sob o seu chapéu, lhe ofereceu um chapéu novo e insistiu para que o pusesse. Maria disse que o fazia com a condição de ele se casar com ela. Tonito, perplexo, aceitou sem se dar conta.

Na primeira noite Tonito pediu-lhe que cumprisse o prometido. Ela assim fez. Tirou os sapatos de sola de cortiça, alisou o vestido azul com a ponta dos dedos e com as mesmas pontas dos dedos retirou o seu velho chapéu da cabeça. Tonito, aparvasmado, saiu porta fora gritando e batendo a todas as portas da vila contando em gritos mudos o que o espantavilhara. Ninguém o ouvia. Tonito tinha perdido o som. Nada do que fazia emitia som. A sua respiração não se ouvia. Nem mesmo o bater do coração barulhava. Apenas Maria ouvia o som de Tonito."


Daniel.1995

10 comentários:

jenny vorwaller disse...

ana, a silly question, but...do you havea way to view your page translated? :)

there must be a way! or im learning a new language soon! :)

Cristina Troufa disse...

È bonito, os segredos deviam ser todos assim.

Oficinas Ranha disse...

Realmente... a mudez é o único castigo para quem quer contar um segredo... mas coitadito do Tonito, espero que tenha sido temporário...
Shhhhhhhh...
Rita

sonia disse...

lindo o texto! nao o sabia tao talentoso... ao daniel!

Fábia S disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Fábia S disse...

"espantavilhara" é muito bom.

+ pequenos disse...

bonito texto !!!

helena zália disse...

O texto é lindíssimo! Já o ilustraste? Daria certamente um belo conto ilustrado!
:)

zm disse...

Raios me partam se eu percebo o que se passou com o Tonito. Detesto contos que não acabam.
Um abraço ao Daniel.
Ele aínda faz disto?
ZM

pips disse...

tão bonito :)